Do benefício presumido da quimioterapia ao comprovado – a clareza que toda paciente merece

O teste Oncotype DX Breast Recurrence Score® foi desenvolvido para ajudar a orientar as decisões de tratamento quimioterápico com base na predição do benefício da quimioterapia. Ao revelar a biologia do tumor além dos parâmetros clínico-patológicos, muda-se a tomada de decisão do benefício da quimioterapia presumido ao comprovado para suas pacientes com câncer de mama em estágio inicial RH+, HER2-.1-5

Os parâmetros preditivos ajudam a orientar as decisões de tratamento 1-2,4,6,12-14

Os marcadores preditivos podem embasar as decisões de tratamento e evitar a extrapolação a partir de fatores prognósticos.6 Marcadores preditivos, como o status de RE e HER2, identificam as pacientes que respondem ao tratamento hormonal e ao trastuzumabe, respectivamente. O resultado Recurrence Score® informa se um tumor tem probabilidade de responder à quimioterapia. Os estudos NSABP B-20 e SWOG 8814 estabeleceram o valor preditivo do resultado Recurrence Score® e o estudo TAILORx refinou as estimativas do benefício da quimioterapia, identificando dois grupos de pacientes1-3,7-11:

  1. Aquelas que não se beneficiam com a adição de quimioterapia à terapia endócrina, a maioria das pacientes com câncer de mama em estágio inicial.
  2. Aquelas com resultados Recurrence Score® 26-100 que têm maior probabilidade de obter benefícios substanciais com a adição de quimioterapia à terapia endócrina.

Os marcadores preditivos podem embasar as decisões de tratamento1-2,4,6,12-14




O teste Oncotype DX® identifica dois grupos de pacientes com linfonodo negativo com base na predição do benefício da quimioterapia 1-3,7-11


* Câncer de mama invasivo em estágio inicial, com linfonodo negativo, RH+, HER2-
A Não se beneficiam da adição de quimioterapia à terapia endócrina
B Beneficiam-se significativamente da adição de quimioterapia à terapia endócrina



Os parâmetros prognósticos por si só não podem orientar as decisões de tratamento com precisão2,5,15-20

Na prática clínica, as decisões de tratamento são frequentemente feitas com base em fatores prognósticos, como tamanho e grau do tumor.2 No entanto, esses parâmetros clínico-patológicos são prognósticos e não demonstraram predizer o benefício da quimioterapia.2,5,15 Além disso, vários estudos estabeleceram que as características clínico-patológicas não podem predizer os resultados Recurrence Score®.2,16-20

As características clínico-patológicas não predizem os resultados Recurrence Score® no estudo TAILORx2


a Pacientes com valores desconhecidos foram excluídos da análise
b Baixo risco clínico:
tamanho do tumor ≤3 cm e Grau 1;
tamanho do tumor ≤2 cm e Grau 2;
tamanho do tumor ≤1 cm e Grau 3
Alto risco clínico: todos os outros casos com valores conhecidos quanto a grau e tamanho do tumor

As características clínico-patológicas por si só não podem predizer os resultados Recurrence Score® na prática clínica16

b Risco clínico baixo:
N0, T ≤3 cm e Grau 1
N0, T ≤2 cm e Grau 2
N0, T ≤1 cm e Grau 3
N1, T ≤2 cm e Grau 1
Alto risco clínico: todos os outros casos

Além disso, a confiança apenas nesses fatores clínico-patológicos mostrou estar associada a um alto nível de incerteza entre os médicos em relação às suas decisões de tratamento. O teste Oncotype DX® proporcionou maior confiança aos médicos em suas recomendações de tratamento, conforme refletido em um estudo de caso recente.17

Incerteza sobre as decisões de tratamento com base apenas nas características clínico-patológicas17


O teste Oncotype DX® pode ser usado para reduzir o risco de tratamento excessivo ou insuficiente com quimioterapia 2,18

O valor do teste Oncotype DX® para suas pacientes com câncer de mama em estágio inicial RH+, HER2-, linfonodo negativo é exemplificado por dados do estudo TAILORx mostrando que o teste Oncotype DX® ajuda na identificação de pacientes que estão em risco de tratamento excessivo ou insuficiente se fatores clínico-patológicos isoladamente forem usados para orientar as decisões de tratamento.2,18 Numerosos estudos de impacto na decisão realizados em todo o mundo, nos quais os médicos consideraram todas as características clínico-patológicas, confirmam este potencial de reduzir o risco de tratamento excessivo ou insuficiente com quimioterapia.2,18-21

O teste Oncotype DX® reduz o risco de tratamento excessivo ou insuficiente2,18


a Risco clínico baixo: tamanho do tumor ≤3 cm e Grau 1; tamanho do tumor ≤2 cm e Grau 2; tamanho do tumor ≤1 cm e Grau 3
Risco clínico alto: todos os outros casos com valores conhecidos quanto a grau e tamanho do tumor
b Supondo que a quimioterapia adjuvante teria sido prescrita ou não com base no risco clínico.

Estudos de impacto na decisão confirmam o potencial de reduzir o tratamento excessivo ou insuficiente, conforme sugerido pelo TAILORx 2,19-21


a Porcentagem de pacientes com QT-TH inicialmente recomendada de acordo com todos os parâmetros clínico-patológicos com redução para TH isolada com base no resultado RS®
b Porcentagem de pacientes com TH inicialmente recomendada de acordo com parâmetros clínico-patológicos com intensificação para QT-TH com base no resultado RS®
c Pacientes com valores desconhecidos foram excluídas da análise

Diretrizes internacionais e órgãos de avaliação de tecnologia em saúde fornecem recomendações sobre quem deve ser testada22-26

Diretrizes internacionais (NCCN, St. Gallen, ASCO)22-24 e órgãos de avaliação de tecnologia em saúde (ATS) (IQWiG, NICE)25-26 reconhecem o teste Oncotype DX® por seu valor na tomada de decisão clínica. Além disso, fornecem orientação sobre quem deve ser testada. As diretrizes do NCCN recomendam considerar fortemente todas as pacientes N0 pré e pós-menopausa com um tamanho de tumor >0,5 cm para o teste, bem como todas as pacientes N1 pós-menopausa (1-3 linfonodos positivos),22 enquanto o órgão HTA alemão IQWiG recomenda testar todas as pacientes N0 quando há incerteza de tratamento com base na avaliação de risco clínico25:


a Conforme votado por maioria absoluta pelo Painel Internacional de Consenso de Especialistas (International Expert Consensus Panel) de St Gallen

ABREVIAÇÕES

ASCO: American Society of Clinical Oncology
IQWiG: Institut für Qualität und Wirtschaftlichkeit im Gesundheitswesen
NICE: The National Institute for Health and Care Excellence
NCCN: National Comprehensive Cancer Network
ATS: Avaliação de Tecnologia em Saúde
QT: quimioterapia
RE: receptor de estrogênio
TE: terapia endócrina
HER2–: receptor do fator de crescimento epidérmico humano tipo 2 negativo
RH+: receptor hormonal positivo
TH: terapia hormonal
N0: linfonodo negativo
NSABP: National Surgical Adjuvant Breast and Bowel Project
RP: receptor de progesterona
RS: Resultado Recurrence Score®
SEER: Programa SEER (Surveillance, Epidemiology and End Results)
TAILORx: Trial Assigning IndividuaLized Options for Treatment (Rx)

REFERÊNCIAS

  1. Paik et al. J Clin Oncol. 2006.
  2. Sparano et al. N Engl J Med. 2018.
  3. Geyer et al. npj Breast Cancer. 2018.
  4. Albain et al. Lancet Oncol. 2010.
  5. Kalinsky et al. SABCS 2020.
  6. Allison et al. Mod Pathol. 2021.
  7. Hortobagyi et al. SABCS. 2018.
  8. Sparano et al. N Engl J Med. 2015.
  9. Petkov et al. npj Breast Cancer. 2016.
  10. Stemmer et al. npj Breast Cancer. 2017.
  11. Blohmer et al. ESMO 2017.
  12. Rastelli and Crispino, Tumouri. 2008.
  13. Viale et al. J Natl Cancer Inst. 2008.
  14. Perez et al. Cancer Treat Rev. 2017.
  15. Early Breast Cancer Trialists' Collaborative Group (EBCTCG), Peto R, et al. Lancet. 2012.
  16. Walter et al. Geburtshilfe Frauenheilkd. 2020.
  17. Licata et al. ESMO 2020. 187P.
  18. Barni et al. ESMO 2018. Poster 194P.
  19. McSorley et al. J Clin Oncol 38: 2020 (suppl; abstr 540).
  20. Curtit et al. Breast. 2019.
  21. Thill, EBCC 2020 poster 367.
  22. NCCN Guidelines Insights: Breast Cancer, Versão 3.2021.
  23. Burstein et al. Ann Oncol. 2021.
  24. Andre et al. J Clin Oncol. 2019.
  25. IQWIG Press Release, September 2018.
  26. NICE Diagnostics Guidance DG34 Dezembro de 2018. acessado em dezembro de 2018.
Making cancer care smarter.™